Crônicas de Botequim

Nada será como antes, amanhã*

Nada será como antes, amanhã*

Rubem Penz

Eu não tiro o pé dessa casa

Qualquer dia a gente se vê

Sei que nada será como antes, e amanhã?

Que notícias me dão desse vírus?

Que notícias me dão de você?

Alvoroço em quem dá a mão

Amanhã ou depois de amanhã

Resistindo em tocar maçanetas sem banhos de gel…

 

Num domingo qualquer, qualquer hora

Um espirro em qualquer direção

Sei que nada será como hoje, e amanhã?

Que notícia, esse corona vírus

Que a carícia é capaz de deter?

Sei que nada será como está

Amanhã ou depois de amanhã

Resistindo em comprar trocentos rolos de papel…

 

*Rir para não espirrar… Perdão, Milton Nascimento e Ronaldo Bastos, pela paródia…

Comentários
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo