Crônicas de Botequim

Quindins

Quindins

Rubem Penz

Foram duas alegrias. A primeira, sexta-feira, quando eu comprei quindins em um raríssimo ímpeto de ter doces em casa. E, no sábado à tarde, eles açucararam a hora do chá – coisas boas do inverno. A segunda alegria foi quando ela choramingou, no domingo, desejando um sabor especial para acompanhar o lanche. Temos quindins, eu disse. É mesmo – eu esqueci! – festejou ela, ao abrir amplo sorriso em reprise. Sim: quando nos esquecemos de algo bom, ao aparecer, parece ainda melhor.

É o que acontece quando achamos uma nota de R$20 deixada sem querer no bolso de um casaco. Nossa, vale muito mais do que o número impresso em papel moeda. Algo como se tivéssemos ganhado o dinheiro outra vez. Melhor: sem esforço, sem ter trabalhado por ele (eu sei, trabalhamos sim, mas já nos esquecemos). Um dinheiro inesperado faz até o pior humor ser revertido, é um raio de sol rompendo as nuvens pesadas, um filete de água fresca na hora da sede. Um dinheiro sem preço.

Sim: quando nos esquecemos de algo bom, ao aparecer, parece ainda melhor.

Quer mais uma? Você está desesperado procurando qualquer coisa nas gavetas menos mexidas, não importa o quê. Então, surpresa: se vê numa foto antiga. Um instantâneo guardado com tanto carinho quanto descuido – não era para estar ali, o lugar certo seria bem outro. Porém, o destino colocou a imagem para ser revelada em um momento de angústia. Por instantes, a urgência dá lugar ao elevado, ao eterno, ao superior. Serão minutos investidos na montagem do quebra-cabeças: a foto se encaixa em pessoas; elas se conectam com um ou dois lugares; tudo ligado a um tempo pretérito. Com sorte, a dispersão servirá de gatilho para que o cérebro recorde onde fora deixado o objeto inicial. Talvez não, e ainda assim terá valido a pena.

Pois é. A vida está difícil, o mundo está doente, pessoas sofrem. Tomara que essas linhas sejam para vocês o que foram para mim: parecido com o revelar-se de um doce esquecido para ser saboreado bem no momento da amargura. Um insuspeitado quindim. Com licença: a água para o chá já está chiando…

Comentários
Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar