Crônicas de Botequim

Crônicas e muito +

Crônicas e muito +

Rubem Penz

Primeiras notícias:

Eu, hein!?”, décima primeira antologia Santa Sede, é quem abre a série com edição própria. Assim sendo, demandou tarefas inéditas – desde as mais burocráticas, como a contratação de ISBN e dos dados catalográficos, até a leitura final para validação das provas de impressão com o peso do último olhar. Ainda que, desde sempre, estivesse próximo de todas as etapas de produção (aprendendo com os melhores), mergulhei na leitura das páginas com uma atenção jamais experimentada. E sabe o que houve? Terminei em lágrimas.

Como antes o volume chegava pronto até minhas mãos, havia uma distância que abrandava o calor do processo. Agora, com a rotina da turma ainda fervendo na memória, as 81 crônicas duplicaram, triplicaram, quadruplicaram de tamanho. Deixaram de ser os três ou quatro minutos de leitura para conter as muitas nuances de comentários, os temas paralelos suscitados, as risadas, o impacto que surgiu na apresentação do texto ao grupo. Seis meses de encontros semanais cristalizados em um só espaço, atrás de uma só capa, sorvidos do começo ao final em visada contínua. Nossa!

Também pude compreender o que representa a chegada deste livro nas mãos dos autores, ou seja, algo ainda muito mais forte do que experimentei, pois são deles, e não minhas, cada uma das palavras. Por detrás delas, histórias de vida, memórias, sentimentos, valores, êxitos e arrependimentos. A vida exposta em sua mais intensa humanidade, tão frágil quanto absurdamente forte. E à noite, quando contei isso aos oficinandos do Aperitivo, módulo que não escreve livro, pude sentir o desejo de terem suas palavras impressas.

Por último, e não menos importante, ficou mais do que justificada a ideia do Gustavo e de sua equipe Buqui, surgida em 2013 e tornada tradicional, de marcar na lateral da página o nome de cada autor tal qual uma agenda de telefones. Assim, o leitor afetuoso dos nove cronistas pode, facilmente, ler primeiro as crônicas do amigo (ou filho, ou primo, colega, vizinho, amor). E se emocionar. Depois, com o tempo, ler todos os autores e colher a multiplicidade de pontos de vista: tão importante quanto rara nos dias de hoje.

Últimas notícias:

Estamos trabalhando para encontrar uma forma segura e confortável de fazer o lançamento presencial na Santa Sede. Sinto que devo isso aos autores – eles merecem! Todos merecemos.

Comentários
Mostrar mais

Artigos relacionados

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo