Rufar dos Tambores 527

Ao som do ie ie iê

Você bem sabe eu sou rapaz de bem
E a minha onda é do vai e vem

Os Cariocas

Eram meninos bonitos, talentosos e simpáticos. Faziam um som inovador. Quando subiam ao palco, arrastavam um séquito de fãs. Muitas delas se contentavam com apenas um olhar – o que já soava como promessa. Então, ao tocarem determinados temas, voavam ao palco bilhetes escritos em páginas de diários e laços de fita. Os meninos bonitos agradeciam com sorrisos marotos.

Eram noites promissoras.

Passou o tempo e os meninos tornaram-se adultos bonitos, talentosos e simpáticos. Faziam um som consistente. Da mesma forma, quando subiam ao palco, atraíam um séquito de tietes, muitas já não se contentando com simples olhares: queriam mais do que promessas. Então, ao tocarem determinados temas, voavam ao palco bilhetes escritos em bolachas de chope e lingeries sensuais. Os jovens bonitos agradeciam com sorrisos maliciosos.

Eram noites intensas.

Continuava passando o tempo e os músicos amadureciam a beleza, o talento e a simpatia. Agora já faziam um som clássico. Ainda assim, quando subiam ao palco, mobilizavam um séquito de interessadas, algumas antigas conhecidas e, dentre elas, aquelas que dispensavam apresentações. Então, ao tocarem determinados temas, voavam ao palco bilhetes escritos nas costas de listas de supermercado e sutiãs de amamentação. Os rapazes bonitos agradeciam com sorrisos paternais.

Eram noites ocupadas.

Impiedoso, o tempo seguia seu rumo. Os homens resistiam, permanecendo, ao máximo, bonitos, talentosos e simpáticos. Nesta altura, faziam um som eterno. Bastava subirem ao palco para arregimentarem um séquito de admiradoras, muito experientes e profundas conhecedoras de suas obras. Então, ao tocarem determinados temas, voavam ao palco bilhetes escritos no verso de comprovantes de cartão de crédito e, eventualmente, calcinhas de tamanho G. Os senhores bonitos agradeciam com sorrisos amarelos.

Eram noites cautelosas.

Até hoje, nossos músicos se mantêm, com pequenos artifícios de maquiagem e figurino, bonitos, talentosos e simpáticos. Aquilo o que sempre fizeram se tornou um som de referência. Surpreendentemente, quando sobem ao palco, reúnem um séquito de ouvintes. Entre uma música e outra, a plateia troca entre si fotografias dos netos. Então, em determinados temas, voam ao palco bilhetes escritos nas costas de receitas médicas e meias de lã. Os velhinhos bonitos agradecem com sorrisos renovados.

São tardes divertidas.

Textos Relacionados

Comentar

Your email address will not be published.