Metro - Porto Alegre

Graças a, apesar de

Rubem Penz

Ao taxiar em terra, acelerando a partir da cabeceira da pista, o avião decola graças à espantosa força de suas turbinas, apesar das toneladas de metal, carga, combustível e passageiros que leva consigo. Se uma sucessão de equívocos for perpetrada durante o voo, o avião cairá apesar da espantosa força de suas turbinas, graças às toneladas de metal, carga, combustível e passageiros.

Ao iniciar a partida final do campeonato, uma equipe estará habilitada ao prêmio máximo graças a sua campanha durante a competição, ao talento e esforço de seus atletas, apesar dos méritos igualmente exitosos de seu adversário. Se conhecer a derrota, será apesar de sua campanha durante a competição, do talento e esforço de seus atletas, graças aos méritos igualmente exitosos de seu adversário.

No derradeiro semestre do curso superior, o aluno terá seu objetivo alcançado graças às horas de estudo, à renúncia de passeios em finais de semana, ao investimento dedicado de sua energia, apesar da intrínseca exigência em garantir a ele essa láurea. Se for reprovado, será apesar das horas de estudo, da renúncia de passeios em finais de semana, do investimento dedicado de energia, graças à intrínseca exigência em garantir a láurea.

Ao celebrar um relacionamento com a moça que fez bater mais forte o coração, a corte do mancebo será concedida graças ao seu asseio, mesuras e compostura, apesar dos inúmeros defeitos – inerentes à condição humana. Se trair as expectativas da moça, restará abandonado apesar de tanto asseio, mesuras e compostura, graças (aqui adiciono um talvez) aos defeitos inerentes à condição humana.

Ao recepcionar convidados, os anfitriões servirão espumante em finíssimas taças graças à delicada engenharia que transforma sílica em rígido cristal, apesar da evidente fragilidade desta casca transparente a acolher o líquido. Se houver um choque, a taça quebrará apesar da delicada engenharia que transforma sílica em rígido cristal, graças à fragilidade desta casca transparente.

É alvissareiro saber que, graças a, voamos, vencemos, aprendemos, amamos, brindamos. Tudo apesar de cairmos, perdermos, sermos reprovados, vivermos desilusões e trincarmos. Há quem considere que, graças a, também caímos, perdemos, somos reprovados, vivemos desilusões e partimos. Mas haverá situações as quais, apesar de, ainda se possa voar, vencer, aprender, amar… erguer um brinde.

A ninguém o monopólio das graças. A todos o aprendizado das penas.

 

Crônica publicada no Metro Jornal em 19.04.2016

Comentários
Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar