Rufar dos Tambores

Número 214

SUPERFILHOS

 

Diz que a mãe do Homem Invisível nunca vê o filho no Dia das Mães. Um exagero, com certeza. Ele sempre vai até a casa dela. Só não aparece, para testar o sexto-sentido da coroa. E, como adivinhações não é o seu forte, ela passa o domingo inteiro pulverizando farinha para cima e tentando pegar a orelha do herói metido a moleque. Principalmente quando precisa ir ao banheiro. O cara não se enxerga!

 

O Batman, sabemos, é órfão de pai e mãe. Ainda criança, viu seu mundo virar de ponta-cabeças com a morte da família – isso nos dá pistas da estranha mania de ser homem-morcego. Por isso, no Dia das Mães, oferece ao Alfred, de presente, panos-de-prato pintados com lindas frutas sorridentes. Pobre homem. Só quem assume a maternidade de corpo e alma sorri de volta para uma maçã, uma pêra ou um moranguinho. Mas o mordomo tem culpas a expiar no cartório. No mínimo, por permitir o rapaz de sair com a cueca por cima da calça.

 

A casa materna do Multi-homem fica lotada no segundo domingo de maio. A velhinha cozinha tão bem, mas tão bem, que o filho, ao invés de repetir os pratos, repete-se para comer ainda mais. Toma todos os lugares à mesa! Justo ela que fazia piada das amigas com filhos gêmeos… Mas essa não é a maior sacanagem: o mão-de-vaca leva, no tal dia, um único presente! No mesmo bairro, quando a mãe do The Flash pisca, o filho já foi embora.

 

O Homem-de-ferro nunca visita a mãe. Evita as situações emotivas para não chorar – água salgada é um veneno para quem luta contra a ferrugem. Outro que abandona a velha é o Homem Aranha: eles brigaram por causa do preconceito da mãe com uma de suas namoradas, a Viúva-negra. Bem diferente do Homem-de-gelo, que tenta estar com a mãezinha todo ano e, derretido por ela, escorre em minutos pelo ralo da cozinha.

 

O Charada ganha, todos os anos, um indulto para sair da prisão no Dia das Mães. E o que ele faz com isso? Arma uma pegadinha para cima da coitada! Ninguém consegue resolver o enigma de aquela senhora ainda gostar do estrupício… Diz que o Incrível Hulk fica bem calminho no colo da mamãe, enquanto ela lê para ele, com muita paciência, “O menino do dedo verde”. E, só a mãe do Coisa ainda continua achando o menino bonito.

 

No domingo, ninguém precisa ser capaz de saltar, ventar, congelar, voar ou subir pelas paredes para salvar o dia. Basta fazer uma visita para a mamãe, ou dar-lhe uma pequena lembrança. Garanto que ela ficará supercontente.

Comentários
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar