Rufar dos Tambores

Número 261

MÍDIA CRUCIS II
Nas derradeiras estações, um exercício de imaginação considera como a Via Sacra repercutiria na imprensa atual:
A CARAVANA DE JERUSALÉM. Judéia. Quem julgava iminente a chegada de Jesus de Nazaré em seu Calvário foi surpreendido com um repentino movimento de resistência. O grupo feminino denominado As Mulheres de Jerusalém promoveu uma passeata em represália ao veredicto de Pilatos. Dispersadas pela ação policial, denunciaram, entre outros abusos de autoridade, a cruel perseguição aos Apóstolos, todos foragidos. Editorial: A flor vencendo a catapulta.
TERCEIRA QUEDA – TARDE DEMAIS. Judéia. O aparente esgotamento físico de Jesus Nazareno, responsável por sua terceira e última queda, aconteceu em um momento tardio: aos pés do Monte Scopus. O local, escolhido para acomodar atos de punição por sua excelente visibilidade, tem um cume amplo o suficiente para abrigar mais duas cruzes, hoje destinadas a ladrões. No Caderno de Viagens: Via Sacra – como nascem os roteiros da fé.

O REI ESTÁ NU! Escândalo na Judéia! Não bastassem as tantas humilhações, Jesus Nazareno, o Rei dos Judeus, é despido de suas vestes ao pé da cruz. Contudo, a atitude gerou um efeito contrário ao esperado, pois o Profeta apresentou um porte considerado divino pela assistência. Maria Madalena, procurada por nossa reportagem, negou-se a dar qualquer depoimento. E mais: A dieta balanceada do pão e do vinho.

TEMPOS DE CRUELDADE! Judéia, urgente! Um espetáculo de violência e brutalidade, iniciado com açoites e seguido de toda ordem de atrocidades, culminou com uma covardia jamais vista: na frente de uma multidão cúmplice e apoiadora, Jesus de Nazaré foi cruelmente pregado na cruz. Calou-se até o pessoal dos direitos humanos, que acompanhava o crucificar dos ladrões. Em nosso editorial: “Que dirão de nós daqui a 2000 anos?”.
MORTE AO ABANDONO DE DEUS. Judéia. “Oh, Pai, perdoai-vos. Eles não sabem o que fazem”. Ditas as últimas palavras, morreu Jesus de Nazaré. Segundo as autoridades, ainda é cedo para afirmar se a causa do óbito foi o esgotamento físico imposto pelo percurso, o sangramento no crânio, as hemorragias nos pés e nas mãos, o quadro de insolação ou resfriado advindo da seminudez. Não descartam, também, o lancinar no coração. Aguardam-se mais informações com o resultado da perícia.
MARIA CHORA COM O FILHO NOS BRAÇOS. Judéia. Abalos sísmicos de 5,4 graus denunciaram a morte daquele que denominavam Rei dos Judeus. Enquanto autoridades públicas creditaram o fato a uma enorme coincidência, circulava um boato em instâncias religiosas de que um erro de avaliação pudesse ter sido cometido – versão negada em Roma. De concreto, apenas a dor de uma mãe que sofre com o jovem filho morto em seu colo. No caderno Lar & Família: Quando os filhos deixam de ser preocupação?

MORTO E SEPULTADO. Judéia. Ocorreu ontem o sepultamento de Jesus de Nazaré. Com a intercessão do poderoso José de Arimatéia, o corpo foi liberado e encaminhado ao sepulcro. Acompanharam a cerimônia apenas os parentes e amigos mais próximos. Alertado de uma pretensa ressurreição, Pilatos mandou montar guarda no local. Até o final desta edição (sábado), nenhuma novidade.
Comentários
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar