Votos nupciais 2 – a eleição*

Rubem Penz Faz muitos anos imaginei um lar com sua rotina contaminada pelas manobras e barganhas de uma casa legislativa. Tive como inspiração o fato de que as relações conjugais e familiares migraram de uma...

Até que o silêncio nos separe

Rubem Penz “Eu não sei dançar tão devagar pra te acompanhar” (Alvim L.) Uma das cenas mais corriqueiras em festas do tipo “jantares dançantes” é a dos casais antigos girando pelo salão numa invejável harmoni...

Elas, eles e a montanha

Rubem Penz Conheço de perto duas mulheres que escalam. Literalmente, aqui não há metáforas (ou há, quem sabe). Conheço-as com proximidade suficiente para traçar paralelos entre ambas. Aliás, duas moças com i...

Meu bem, meu mal

Rufar dos Tambores nº 525 Meu bem, meu mal Você é minha droga, paixão e carnaval Meu bem, meu zen, meu mal Caetano Veloso Pouco se ouve falar de acordos pré-nupciais. Eles são contratos particulares para...

Por escrito, de viva voz

Coluna do Metro Porto Alegre em 15.05.2013 POR ESCRITO, DE VIVA VOZ Experimente, durante uma situação de conflito, no calor do debate, ser sincero em suas opiniões a respeito de algo ou alguém. Muito prov...

Máquina de lavar

Rufar dos Tambores 520 Máquina de lavar Rubem Penz Lava roupa todo dia, que agonia Na quebrada da soleira... Luiz Melodia Meu amor, Lembro como se fosse hoje do nosso começo: primeiro, sofri uma to...

Desmontando o castelo de copas

Coluna do Metro Porto Alegre em 03.04.13 DESMONTANDO O CASTELO DE COPAS Todos sabem como se monta um castelo de cartas: dispondo duas a duas em apoio solidário. Ações somadas e repetidas para a construção...

O tombo no vaso de violetas

Coluna do Metro em 06.02.2013 O TOMBO NO VASO DE VIOLETAS Nossa, faz tanto tempo... Brinco (a sério) ter sido em vidas passadas. Morava num simpático apartamento de um quarto, primeiro lar que sucedia a c...

Um bálsamo chamado desilusão

Número 506 Um bálsamo chamado desilusão Rubem Penz O amor quando acontece A gente esquece logo que sofreu um dia Ilusão João Bosco É comum apontarmos alguém de olhar cabisbaixo, caminhar arrastado, r...

Luz e sombra

Número 502 Luz e sombra Rubem Penz Aos nove anos, ela só tinha olhos para os meninos que dominavam o recreio – eram bravos, jogavam futebol, zoavam com os colegas e, em alguma medida, maltratavam as me...