Grenal decidido dentro das 34 linhas

Rubem Penz

Nem dentro de campo, nem com noventa minutos: o maior Grenal de 2022 será decidido lauda por lauda – as tais 34 linhas – durante o primeiro semestre e em exatas cem crônicas. Com início marcado para oito de março, a oficina Santa Sede crônicas de botequim projeta reunir cinco grandes colorados e cinco grandes gremistas para comporem o livro Porto Grenal Alegre, um volume histórico em homenagem aos 250 anos da capital gaúcha, berço do maior clássico brasileiro e inscrito entre os dez mais importantes do mundo.

A escalação das equipes depende das inscrições: se você é (ou conhece) um torcedor que compreende a história do clube como parte de sua própria história, frequenta o estádio desde criança e quem sabe até viajou para acompanhar grandes jogos, possui repertório para bem representar suas cores. Além disso, ao ser bom de escrita, seja por trabalhar em profissões que vivem das palavras, seja por já ter cursado outras oficinas literárias, acrescentará ao repertório o brilho imprescindível para passar os sentimentos para os textos com perfeição. Por isso, busque informações o quanto antes.

Durante os dez capítulos, gremistas e colorados se revezarão para versar sobre os dez temas eleitos para abranger as muitas nuances da paixão pelo futebol e sobre a grandeza de seu escudo.

Tudo será equilibrado. No primeiro dia, “capitães” escolherão a face da moeda no cara-e-coroa. Quem vencer terá a prerrogativa de escolher entre campo ou bola. Se escolher bola, uma crônica do seu time abrirá o livro, deixando ao outro time o campo, isto é, o privilégio de ocupar a primeira orelha. Durante os dez capítulos, gremistas e colorados se revezarão para versar sobre os dez temas eleitos para abranger as muitas nuances da paixão pelo futebol e sobre a grandeza de seu escudo.

Diferentemente das competições tradicionais, o Grenal das 34 linhas inicia com todos sabendo quem será o vencedor: os leitores. A garantia vem com os doze anos de história da Santa Sede, uma trajetória reconhecida, premiada e capaz de honrar outra tradição porto-alegrense: ser a capital das oficinas literárias, um celeiro de ases com a cultura onde a cultura estiver. Para maiores detalhes, escreva para [email protected] .

Foto: Paulo Monteiro

Comentários
close

Inscreva-se para receber as crônicas do Rubem semanalmente, direto no seu email.

Não enviamos spam!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima