CrônicasMetro - Porto Alegre

Definições pertinentemente impertinentes

Rubem Penz

Moda – modo pelo qual a indústria e o comércio transformam bens e serviços não perecíveis em objetos e hábitos absolutamente perecíveis.

Moda vintage – estratégia pela qual os brechós descolados “descobrem” que não era perecível um objeto que nunca foi perecível mesmo, outrora tornado aparentemente perecível, vendendo outra vez, e bem caro, só para deixar determinada mulher pensando que uma peça igual foi descartada num passado recente por sua mãe porque não havia mais lugar no armário e, com isso, fazer as duas discutirem inutilmente quando uma lembrar a outra que chegou a lhe oferecer – mas você nunca me escuta!

Tecnologia – modo pelo qual as inovações científicas transformam tudo aquilo que você jamais imaginou possuir em algo que ninguém mais deseja ter.

Tecnologia (digital) – maneira indelével de transformar qualquer adulto médio em um ignorante completo a cada curto período de tempo diante de um perplexo filho de, digamos, oito anos, incapaz de aceitar o fato de seu pai (ou mãe) ser incapaz de trilhar singelos caminhos de configuração ou operação absurdamente óbvias nos computadores, smartphones ou outras engenhocas para as quais ele tem pleno controle e, com isso, ser colocado de castigo por uma semana para refletir sobre sua falta de paciência para com os mais velhos – onde já se viu!

Alta gastronomia – modo pelo qual um chef de cuisine transforma alimentos até bem fáceis de preparar em pratos exóticos acrescentando ingredientes inusitados e adornos criativos.

Alta gastronomia (do amigo da esposa) – expediente utilizado por aquele metido a besta e filhote de sabe-tudo para impressionar os incautos e economizar na quantidade de comida do jantar enquanto, sorrateiramente, insinua que basta ser um troglodita para colocar um pedaço de carne crua acima de um braseiro, diminuindo de maneira intencional a importância de sua única alternativa culinária descente e, com isso, transformando-o em um Neandertal ao mesmo tempo que oferece uma merreca de alimento no meio de um enorme prato branco riscado com creme de ameixas – ou algo parecido, que importância tem isso agora?

Crônica – texto em forma de prosa breve concebido originalmente para ocupar colunas de jornais, revistas ou sites.

(Essa) crônica – ato desesperado de um autor com o compromisso semanal de escrever alguma coisa palatável e razoavelmente bem urdida no último minuto antes de estourar o prazo para o qual ele se compromete a comparecer diante do estimado editor – ufa!

Crônica publicada no Metro Jornal em 16.12.14

Comentários
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo