Sidney Penz ou Rubem Magal?

Esses dias assisti uma entrevista do Sidney Magal. Nela, relatou ter conhecido sua esposa num evento lotado de moças bonitas e, do nada, quando bateu os olhos em Magali, sabia que se casaria com ela. Mais: disse isso para ela naquele exato momento. Amor à primeira vista? Chamemos assim o encantamento instantâneo, pois de fato ele existe. Eu sei, eu vivi.

Nunca esquecerei de uma manhã de sábado na sala de aula da Casamundi Cultura. Era um curso de crônicas de viagem e uma menina de quem eu mal sabia o nome leu seu primeiro trabalho. Assim que chegou ao ponto final, magalicamente eu disse: quer casar comigo? Todos rimos, não era um pedido sério. Era, sim, um encantamento avassalador. O texto tinha as melhores qualidades de uma crônica, ou seja, humor inteligente, leveza, ritmo, picardia. E ela aparentava ser um pouco mais que uma criança.

Paula Luersen – esse é seu nome – esteve depois na mesa da Santa Sede para deixar registrado para sempre seu talento. Em 2015 escreveu o “livro rosa” de nossas safras e, em 2017, fez parte do premiado time de “A persistência do amor”, nosso volume em homenagem a Paulo Mendes Campos. Casar, não nos casamos. O caso esteve mais para amor literário, admiração, estímulo. O mundo precisava ter acesso a sua cativante escrita.

Se você acredita em minhas escolhas, precisa conhecer a campanha de financiamento do livro Variações de um círculo (Ed. Documenta). O link é https://www.catarse.me/livro_variacoes_de_um_circulo_9de2?ref=project_link Não sei dizer se os relatos podem ser definidos como crônicas ou restritos ao gênero – ainda que narrados em primeira pessoa e introspectivos. Mas por tudo o que conheço em sua produção, é uma história que vale muito a pena ser lida. Nestes tempos difíceis de pandemia e desafios, uma obra esculpida por quem sabe em si os enormes desafios da sanidade (ainda que siga parecendo ser um pouco mais que uma criança).

Sidney Magal tem um metro e noventa e eu nem perto. Sidney Magal fez enorme sucesso na música e eu nem perto. Sidney Magal ganhou muito dinheiro e eu nem perto. As mulheres se rasgavam por Sidney Magal e por mim nunca estiveram perto disso. Mas fui eu, não ele, quem viu Paula Luersen primeiro. Como não sofro de ciúmes, estou espalhando a notícia da captação de Variações de um círculo para que muitos se apaixonem também.

Tomara que a crônica chegue ao Sidney Magal para ele nos ajudar.

8 comentários em “Sidney Penz ou Rubem Magal?”

  1. Convincente. Já participando da campanha. Conheço a escrita da Paulinha, mas, com tua recomendação, fica melhor ainda.

    1. Rubem Penz

      Já foi pior, Patrícia! Em 1971 (ou 72) eu imitava Tony Tornado cantando BR3. Já foi pior… Abração!

gostou? comente!

Scroll to Top