Voto adversativo

“Besta é tu, besta é tu; besta é tu, besta é tu”

Novos baianos

Como parece natural em uma eleição com dois candidatos com forte rejeição avançando para o segundo turno, abre-se um novo momento de apelos em busca de adesão – o tempo do voto adversativo. Pleito apertado, país dividido, cada conquista no grupo dos indecisos, brancos e nulos é disputada palmo a palmo na base do mas.

A partir de agora, todos os malfeitos do candidato predileto ganham um apêndice adversativo na hora de convencer quem se recusa a aderir à tese do “mal menor” – desde que o maior dos males repouse sobre os ombros do adversário. Na multiplicação dos todavias e dos contudos, o que fica para os reticentes é a impressão de que os polos se retroalimentam.

Ah, o tal voto adversativo… Ele é ao mesmo tempo bonito e triste.

Eu tenho plena consciência de que o que acabei de escrever não é simpático – lamento decepcionar vocês. Ainda assim, querer-me mal será um desperdício. Digo isso porque os poréns e os nos entantos agora também servem para demonizar os indecisos, brancos e nulos numa medida que não lhes cabe:

– Mas quem não vota em X estará elegendo Y! – é o que afirmam, mesmo quando a matemática não diz isso. Desenhando: ao serem retirados centímetros de cada lado, ambos estarão igualmente mais perto da vitória contando com seus próprios passos e apesar de seus próprios tropeços.

– Mas vocês não entendem o que está em jogo!? – voltam à carga. Indecisos, brancos e nulos entendem, sim. O que talvez não entendam é a inabalável disposição de apagar o incêndio brasileiro com gasolina.

Ah, o tal voto adversativo… Ele é ao mesmo tempo bonito e triste. Bonito por seu caráter de aparente humildade e suave autocrítica. Triste quando percebo minha geração se despedir de uma vez por todas de sua aura de superioridade com relação aos antepassados. Nós que, na juventude, fomos tão acusatórios, na maturidade estamos beeeem transigentes. E no pior sentido.

E eu? Por enquanto, leio, ouço, penso e sinto muito. Não esperem a adesão pública de quem se decidirá na base do mas ou menos…

9 comentários em “Voto adversativo”

  1. Rubem, compartilho da tua tristeza e de uma tomada de decisão “mais ou menos”…. Mas é o que temos no momento, amigo! A historia é cíclica e temos que acreditar em tempos melhores por vir. Bjs

    1. Rubem Penz

      Mara, perdão. As melhores pessoas são as que ficaram mais tristes – se serve de consolo… Abraços

gostou? comente!

Scroll to Top