31 de março de 2020

    Crônica ululante

    Crônica ululante Rubem Penz Nunca vou esquecer a tarde em que, no distante 1987, tive a insatisfação de ler uma…
    24 de março de 2020

    1111 de setembro

    1111 de setembro Rubem Penz Sabe aquela tradicional pergunta do que você fazia quando recebeu a notícia da morte da…
    17 de março de 2020

    Nada será como antes, amanhã*

    Nada será como antes, amanhã* Rubem Penz Eu não tiro o pé dessa casa Qualquer dia a gente se vê…
    10 de março de 2020

    Nesta data querida

    Nesta data querida Rubem Penz – Parabéns a você… … Santa Sede! Mas vejo que erro ao falar assim –…
    3 de março de 2020

    Falência nossa de cada dia

    Falência nossa de cada dia Rubem Penz Fosse Porto Alegre um corpo, o encontro entre a Av. Ipiranga, a Antônio…

    textos + recentes

    • Número 204

      INTELECTOCULTURISMO O que faz um intelectual narcisista no alto da montanha do seu saber é o mesmo o que um fisiculturista defronte ao espelho: espera o eco para deleitar-se com…

    • Número 203

      ESCONDE-ESCONDE Nessa vida, uma das maneiras de aprender sem parar é ter filhos. Uma grande lição acabamos de receber da caçula, que está em plena efervescência por causa da mudança…

    • Número 202

      O BAILE Existem noites que, assim como gols, merecem uma placa de bronze. Verdadeiras honras ao mérito. Em meus carnavais, tive mais de um momento de exceção que ganharam, na…

    • Número 201

      PARIS, LIBERDADE E IGUALDADE Saiu no jornal: o Judiciário norte-americano condenou a milionária socialite Paris Hilton a três anos de liberdade vigiada. A sentença é devida ao crime de dirigir…

    • Número 200

      Primeiro havia as crônicas semanais e não havia um nome. Na semana 81, o batismo em homenagem ao lado baterista: Rufar dos Tambores. Agora, na aniversariante 200, a newsletter finalmente…

    • Quase pronto…

      Em fevereiro, a crônica número 200. Agora no Blogger.

    Botão Voltar ao topo
    Fechar